Quais são e como gerenciar os custos variáveis de uma imobiliária

custos variáveis de uma imobiliária

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Um bom controle financeiro é a base para uma boa gestão da sua imobiliária. Nós já falamos aqui sobre alguns dos custos fixos e você pode rever esse conteúdo clicando aqui. Contudo, hoje vamos tratar os custos variáveis de uma imobiliária.

Este tema se mostra relevante pela importância que tem nos cálculos das despesas do negócio. Preveja as despesas variáveis, já que estas são uma parte da margem de lucro. A margem pode ser auferida na equação (total recebido – custos e despesas fixas e variáveis da imobiliária).

Você já parou para pensar quais são os custos variáveis de uma imobiliária?

Para compreender melhor quais são os custos variáveis, um caminho interessante é saber primeiramente seus custos totais, identificando quais são os custos fixos e eliminando-os desta busca por respostas. Os fixos são os gastos que não são afetados pelo número de aluguéis ou vendas de imóveis realizadas no mês.

Em contra partida os custos variáveis são aqueles que oscilam de acordo com o número de negócios fechados. Por exemplo, a comissão devida aos corretores. Com um maior número de vendas ou locações, aumenta-se a receita e também os custos de comissionamento. Esteja com esses custos na ponta do lápis.

A sazonalidade pode incrementar essa conta de custos variáveis de uma imobiliária. Imaginemos que em períodos de alta, em que as vendas e locações são maiores, é necessário contratar mais profissionais de vendas. Estes profissionais podem receber um valor fixo por mês mais as comissões, então este valor previsto que recebem também pode ser considerado um custo variável – uma vez que só existe quando essa época do ano chegar, que há previsão de muitas vendas e em seguida ocorrerão os desligamentos.

Exemplos de outras despesas que podem ser consideradas custos variáveis: gastos com campanhas de promoção e marketing; gastos com advogados na adequação de contratos ou revisão de direitos em caso de problemas; gastos com documentação diretamente ligados à venda ou locação dos imóveis.

Como gerenciar na prática os custos variáveis da imobiliária

Todas as despesas sob controle é uma das chaves para garantir uma boa saúde financeira da sua imobiliária, não é mesmo? Busque separar as despesas e custos fixos e variáveis e monitorar sempre como eles oscilam ao longo do tempo. Recordando o cálculo da margem de lucro, tome cuidado com os custos variáveis mal aplicados ou mal negociados para que não prejudiquem essa equação.

Junto a esse monitoramento existe o constante desafio de redução de custos em uma imobiliária. Sem a visão de como estão se comportando os custos e a que processo eles se relacionam, não temos como melhorar. Esteja atento para rever processos, métodos, rotinas e aderir a tecnologias que melhorem o dia a dia da imobiliária fazendo que a produtividade seja aumentada e custos reduzidos.

A adesão a planilhas ou softwares de controle financeiro é uma boa forma de manter os custos variáveis visíveis, fáceis de monitorar. Quanto mais precisos forem os dados registrados, melhor será para análise e gerenciamento financeiro.

Softwares de gestão financeira como ContaAzulNiboGranatum, apoiam nessa tarefa. Existem também softwares específicos para imobiliárias que oferecem uma série de recursos, como gestão de contratos de aluguéis, integração com portais de anúncio de imóveis e incluem as funcionalidades do controle financeiro. Todos facilitando o caminho para o gerenciamento dos custos na sua imobiliária.

Você já parou para pensar nos custos variáveis na sua imobiliária? Possui mecanismos para gerenciá-los? Compartilhe conosco sua experiência em gestão financeira!

Mais para explorar