confiança distribuída no mercado imobiliário

Como a confiança distribuída impacta no mercado imobiliário

Você já ouviu falar em confiança distribuída? Vamos começar contextualizando a evolução da confiança nas transações comerciais. A confiança é estabelecida sempre entre duas partes. Muito tempo atrás, quando ainda vivíamos em comunidades pequenas, vilas, as relações comerciais e a confiança era estabelecida de pessoas para pessoas. No modelo um pra um, em nível local.

Quando a confiança em uma relação comercial era quebrada com inadimplência, por exemplo, não se tinha a quem recorrer. Uma pessoa emprestando dinheiro à outra, poderia facilmente “levar um calote”. Para os maus intencionados seria muito fácil aplicar golpes e destruir com a confiança nessa relação pessoa a pessoa.

Quebrando essa confiança local, as pessoas param de movimentar dinheiro, deixando quem precisava sem um fornecedor para facilidades de compra. Vendo essa oportunidade foram criadas alternativas pelas instituições financeiras. Essas instituições ficavam entre quem empresta o dinheiro e quem toma emprestado. A confiança agora é institucional, tem-se uma empresa entre as pessoas, aumentando a segurança para estabelecerem relações comerciais.

Confiança distribuída: de muitos pra um

Rachel Botsman, pesquisadora, escritora e professora da Oxford University nos alerta para o novo tempo da confiança. Ela, de maneira recorrente em seus artigos e vídeos, explica o que tem mudado na nossa percepção de confiança ao longo do tempo.

Há algum tempo, como citamos acima, nós acreditávamos em instituições como o governo, a igreja e os bancos. Nos dias de hoje essa confiança está depositada nas outras pessoas, que por muitas vezes são estranhos. Não é muito complexo perceber essa mudança, plataformas como Airbnb e Uber compartilham serviços de pessoas para pessoas, baseado na recomendação de pessoas. Por estes meios estamos dispostos a entrar na casa e nos carros de pessoas que nunca vimos, pautados apenas na recomendação de outras pessoas que também nunca vimos. Para algumas pessoas pode parecer muito estranho, mas é a realidade que vivemos.

Mesmo não utilizando plataforma como essas, nós já temos esse tipo de comportamento. Muitas vezes buscamos críticas de um produto antes de comprá-lo, por exemplo. Estamos na era da confiança distribuída e não podemos ignorar isso.

Confiança distribuída na prática

O último momento da confiança antes de se tornar distribuída, foi o momento institucional. Mas, o que na prática muda de uma confiança para a outra?

Primeiramente, enquanto a confiança institucional era turva a distribuída é transparente. Não conhecemos as operações de um banco por dentro, o que fazem com nosso dinheiro aplicado por lá e o relacionamento com o mercado é muito distante e burocrático. Em contra partida na confiança distribuída, os consumidores e até mesmo funcionários “abrem o jogo” de como a empresa se relaciona com o humano. A transparência humaniza a avaliação por nossa parte. Nossa tendência é acreditar mais nos depoimentos humanos, ao invés do discurso pragmático de um garoto propaganda.

Nesta mesma linha da comunicação ao mercado, outra característica da confiança institucional é que ela é “de cima para baixo”. Vem das estratégias da empresa em conseguir orientar o mercado, consumo, o reconhecimento de sua marca. A confiança distribuída é “de baixo para cima” a base de consumidores se manifesta relatando suas experiências e é isso que vale para muitos que estão avaliando consumir ou não daquela empresa. O controle de formar opinião não está na mão da empresa, mas de seus consumidores.

Impacto no mercado imobiliário

Toda esta relação apresentada até o momento pode ser facilmente incorporada ao mercado imobiliário, aonde as transações vêm sofrendo mudanças nos níveis de confiança. Seguimos o mesmo caminho de confiança local, institucional e distribuída.

Nos tempos antigos a confiança fazia com que transacionássemos terrenos ou casas de forma direta. Com as mudanças comportamentais diversas, migramos para a confiança institucional onde foram instituídas as imobiliárias. Nos dias de hoje a confiança distribuída pode ser acessada em portais de imóveis, onde nos pautados em depoimentos de outras pessoas para alugar ou comprar um imóvel sem a participação de uma imobiliária.

Sua imobiliária está atenta a estas mudanças? Foque na experiência do seu cliente, agregando níveis de serviço e restabelecendo a confiança do mercado em sua empresa.